FANDOM


Campeão História e Desenvolvimento Estratégia Skins e Curiosidades
EvelynnSquare.png Evelynn
O Abraço da Agonia
Gênero
Raça
Feminino ♀
Demonio
Local de Nasc.
Residência
Ocupação
Facção
Runeterra
?
Assassina
?
Aliados

Tahm KenchSquare EmptySquare EmptySquare

Rivais

RyzeSquare VayneSquare EmptySquare


Nas fronteiras sombrias de Runeterra, a criatura demoníaca Evelynn busca sua próxima vítima. Ela atrai sua presa com a voluptuosa fachada de uma fêmea humana, mas basta alguém sucumbir aos seus encantos para que sua verdadeira forma seja revelada. Evelynn então sujeita a sua vítima a um tormento indescritível, comprazendo-se com a dor alheia. Para a criatura, esses contatos são apenas casinhos inocentes; para o resto de Runeterra, são contos macabros de luxúria trágica e terríveis lembretes sobre o custo da volúpia descontrolada.

Evelynn nem sempre foi uma caçadora habilidosa. Ela nasceu há milênios, mas inicialmente não passava de uma forma primordial, amorfa e pouco senciente. Esse resquício de sombra sobreviveu nesse estado, entorpecida e alheia a qualquer estímulo, por séculos a fio. Se o mundo não tivesse sido tomado por conflitos, talvez ela nunca tivesse evoluído. As Guerras Rúnicas, como viriam a ser conhecidas, trouxeram uma era de sofrimento em massa que o mundo nunca tinha visto.

Quando a população de Runeterra começou a vivenciar todo tipo de dor, angústia e perda, a sombra se agitou. O vácuo que ela há tanto tempo conhecia foi substituído pelas vibrações maníacas de um mundo em agonia. A criatura tremia de excitação.

Quanto mais as Guerras Rúnicas escalavam, mais se intensificava o tormento do mundo, e a sombra se sentia prestes a explodir. Ela absorvia toda a dor de Runeterra, que nela se manifestava como um prazer sem limites. Tal sensação nutria a criatura e, com o tempo, ela se transformou em algo mais. A forma amorfa tornou-se um demônio, um parasita espiritual voraz que se alimentava das mais profundas emoções humanas.

Evelynn OriginalLoading

Quando as guerras chegaram ao fim, o sofrimento do mundo diminuiu e a criatura demoníaca de repente se viu desesperada. O único prazer que ela conhecia nascia da miséria das outras criaturas. Sem essa dor, ela não sentia nada, tal qual no início de sua vida.

Se o mundo deixasse de fornecer o sofrimento necessário à sua sobrevivência, ela teria de fabricar o próprio alimento. Assim, a criatura se viu obrigada a causar dor nos outros seres vivos para vivenciar novamente o êxtase sentido outrora.

No início, capturar presas era um desafio. Ela conseguia permanecer indetectável em sua forma sombria, mas para tocar um ser humano, precisava se manifestar de forma mais tangível. As várias tentativas de moldar um corpo físico a partir de sua carne-sombra tiveram resultados monstruosos, o que invariavelmente assustava as presas.

O demônio percebeu que precisava assumir uma forma agradável aos humanos; uma forma que não só os atraísse às suas garras, mas que lhes oferecesse o êxtase nascido de seus próprios desejos, que tornasse a sua dor muito mais doce.

Das sombras, a criatura começou a estudar aqueles que desejava caçar. Ela adaptou sua carne ao gosto deles, aprendeu a dizer o que queriam ouvir e passou a caminhar de um modo atraente aos olhos deles.

Em questão de semanas, a criatura aperfeiçoou seu físico, seduzindo dezenas de vítimas enamoradas e torturando-as até a morte. Embora ela apreciasse a deliciosa dor de cada uma, parecia nunca ser o suficiente. Os desejos dos humanos eram tão brandos e efêmeros. Além disso, a dor deles, breve demais para lhe dar mais do que alguns poucos momentos de prazer, a satisfazia apenas até a presa seguinte.

Ela ansiava pelo dia em que mergulharia o mundo em caos total, pelo dia em que voltaria a uma vida de êxtase puro e arrebatador.

EvelynnSquare

“Tem planos para hoje à noite? Que tal nos reunirmos para libertar esse vasto poço de tormento dentro de você?”

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.