FANDOM



"“Ter cara de perigoso e ser perigoso são coisas diferentes.”"
Ionia sempre foi uma terra de magia selvagem e seu povo vibrante e poderosos espíritos sempre buscaram viver em harmonia… mas algumas vezes este equilíbrio pacífico não vem fácil. Às vezes, ele precisa ser mantido sob controle.

Os Kinkou são os autonomeados guardiões do sagrado equilíbrio de Ionia. Os fiéis acólitos da ordem percorrem o reino material e espiritual, mediando conflitos entre eles e, quando necessário, intervindo pela força. Nascida entre suas fileiras estava Akali, filha de Mayym Jhomen Tethi, a renomada Punho das Sombras. Mayym e seu parceiro Tahno criaram sua filha dentro da Ordem Kinkou, sob a liderança vigilante do Grande Mestre Kusho, o Olho do Crepúsculo.

Sempre que seus pais eram chamados, outros membros da ordem atuavam como a família substituta de Akali. Kennen, o Coração da Tempestade, passou muitas horas com a jovem, ensinando suas técnicas de shuriken e enfatizando a velocidade e agilidade no lugar da força. Akali era uma criança precoce e absorvia o conhecimento como uma esponja. Ficou claro para todos que ela seguiria o caminho de seus pais. Junto com o filho do Grande Mestre e nomeado sucessor, Shen, ela lideraria uma nova geração dedicada a preservar o equilíbrio de Ionia.

Mas o equilíbrio pode ser passageiro. Em um momento, a ordem se viu dividida.

Um acólito rebelde chamado Zed retornou e entrou em choque violento com Kusho, arrancando-o do poder em um sangrento golpe. Akali fugiu para as montanhas do leste junto com Mayym, Shen, Kennen e um grupo de outros acólitos. Infelizmente, Tahno não estava entre eles.

A transformação de Zed da Ordem Kinkou na impiedosa Ordem das Sombras estava quase completa. Mas, como o novo Olho do Crepúsculo, Shen pretendia reconstruir o que havia sido perdido. Eles retornariam às três filosofias fundamentais do Kinkou: a imparcialidade pura através de Observar as Estrelas, a passagem do julgamento através de Percorrer o Sol e a eliminação do desequilíbrio através de Podar a Árvore. Mesmo sendo agora poucos, eles treinavam os neófitos para restaurar e aumentar seus números mais uma vez.

Quando Akali chegou aos seus catorze anos de idade, ela entrou formalmente em seu treinamento Kinkou, determinada a suceder sua mãe como a nova Punho das Sombras.

Ela era uma lutadora prodigiosa e dominava o kama e a kunai - uma foice de mão e uma adaga de arremessar. Embora não possuísse as habilidades mágicas de muitos de seus companheiros acólitos, ela provou a todos que era digna do título, a tempo de permitir que sua mãe renunciasse e ajudasse a orientar os neófitos mais jovens.

Mas a alma de Akali estava inquieta, e seus olhos estavam abertos. Embora a Ordem Kinkou e a Ordem das Sombras tivessem chegado a um acordo desconfortável após a invasão noxiana em Ionia, ela viu que sua terra natal continuava a sofrer. Ela questionou se eles estavam verdadeiramente cumprindo o seu propósito. Podar a Árvore significava eliminar aqueles que ameaçavam o equilíbrio sagrado... mas Shen sempre encorajava o autocontrole.

Ele a estava impedindo. Todos os mantras e meditações poderiam aquietar seu espírito, mas tais trivialidades não derrotariam seus adversários. Sua precocidade juvenil se transformou em absoluta desobediência. Ela discutiu com Shen, o desafiou e no fim derrubou os inimigos de Ionia da maneira dela.

Na frente de toda a ordem, ela declarou a impotência dos Kinkou, sua conversa sobre equilíbrio espiritual e paciência não levavam a nada. Ionianos estavam morrendo no reino material, e esse era o reino que Akali defenderia. Ela foi treinada para ser uma assassina. E é isso que ela seria. Ela não precisava mais da ordem.

Shen a deixou ir sem lutar, sabendo que este era uma estrada pela qual Akali deveria trilhar sozinha. Talvez essa estrada a trouxesse de volta um dia, mas isso caberia apenas a ela decidir.

Referências